PROGRAMA

1) Lutar para que a Diretoria da PETROS execute, administrativa ou judicialmente, a cobrança de todas as dívidas das Patrocinadoras e do INSS. 

2) Lutar para promover a reversão da separação de massas, a reabertura e impedir, por todos os meios legais, o fechamento do Plano PETROS BD;

3) Lutar por melhoria dos Planos PETROS destacando-se:
a) Lutar pela Inclusão de todos empregados da Petrobrás no Plano PETROS BD;
b) Lutar pelo Fim do limite de idade;
c) Lutar pela recuperação das perdas dos benefícios dos aposentados e pensionistas dentro do interregno legal de retroatividade;
d) Lutar pela correção dos cálculos das pensões, das reservas de poupança, dos benefícios mínimos e das aposentadorias antecipadas;
e) Lutar pela correção dos benefícios dos pré-existentes;
f) Lutar pelo pagamento de todos esses passivos conforme prevê a lei (cinco anos de retroatividade);
g) Lutar pela inclusão no Plano PETROS de todos os retardatários (pré-70 etc.);
h) Lutar pelo pagamento das perdas resultantes da alteração da premissa de Geração Futura;
i) Lutar para que nos casos de retirada de patrocínio os direitos dos Participantes sejam rigorosamente garantidos.

4) Lutar pela efetivação do fim do teto de contribuição para os pós-82;

5) Lutar pelos interesses dos participantes do PETROS 2 e demais planos;

6) Lutar pela Reversão do Fundo Administrativo da PETROS para o seu plano de origem (PETROS BD);

7) Lutar pela Segregação do multipatrocínio com fim do uso dos recursos do PETROS BD para
sustentação dos demais planos e devolução dos recursos já usados;

8) Lutar pela reformulação do Estatuto da PETROS, visando:
a) estabelecer a efetiva representação paritária entre Participantes, Assistidos e Patrocinadoras em todos os Órgãos Estatutários de Gestão da PETROS, regulamentando o uso do voto de qualidade;
b) exigir a condição de Participante ou Assistido com, no mínimo, 5 anos de contribuição, em gozo dos seus direitos estatutários, para ocupar qualquer cargo de direção superior da PETROS;
c) restabelecer a competência legal específica e única do Conselho Fiscal para, como órgão efetivo de controle interno, aprovar ou rejeitar, as contas da administração;
d) introduzir a obrigatoriedade específica para a presidência da PETROS ser exercida por um participante do Fundo do Sistema Petrobrás com, no mínimo 10 anos de contribuição;

9) Lutar por uma solução para os anistiados na Petros.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. O programa está ótimo, mas como esse cara chegou a presidência da petros e o resto da atual diretoria só escapa o França químico da Petrobras?

    ResponderExcluir