sábado, 30 de julho de 2011

CDPP lança candidatos às eleições da PETROS

Unindo todas as entidades que defendem os interesses dos participantes da PETROS


A Reunião do CDPP realizada no dia 28 de julho na Sede do Sindipetro RJ contou com a participação de mais de 30 lideranças nacionais, de diversas entidades representativas dos participantes, a saber: AEPET, AMBEP, APAPE, ASTAPE/BA, ASTAPE/RJ, SINDIPETRO AL/SE, SINDIPETRO LP, SINDIPETRO PA/AM/AP/MA, SRQP-BA, FNP e FENASPE. Estiveram presentes também os Conselheiros Eleitos Agnelson Camilo, Epaminondas Mendes, Paulo Brandão, Roberto Ribeiro, Ronaldo Tedesco e Yvan Barretto.
Na ocasião foi debatida a implementação da estratégia aprovada pelo CDPP no último período (cujo balanço resumido apresentaremos a parte) e a estratégia de apresentação de Chapas para concorrer ao Processo Eletivo da PETROS 2011.
O balanço do CDPP foi apresentado pela Coordenação, sendo aprovados o Programa e a Carta Compromisso dos candidatos do CDPP. A estratégia apresentada pela Coordenação foi aprovada pelo Comitê, que aprovou ainda a apresentação dos nomes dos seguintes companheiros como candidatos nas próximas eleições da PETROS: Paulo Brandão (titular) e Fernando Siqueira (suplente) para concorrer à vaga de assistidos ao Conselho Deliberativo, Clarckson Messias (titular) e Marcos André (suplente) para concorrer à outra vaga ao Conselho Deliberativo e Epaminondas Mendes (titular) e Emídio Rebelo Filho (suplente) para concorrer à vaga de assistidos ao Conselho Fiscal.
Consideramos tal acordo entre as entidades participantes do CDPP uma vitória dos participantes da PETROS que souberam construir o consenso entre os diversos pensamentos existentes no interior do Comitê, sem que as indicações do CDPP privilegiassem interesses partidários ou outros, estranhos aos participantes.
Tal consenso foi construído com maturidade e sem atropelos, embora sabemos que não necessariamente represente a vontade de todos, mas o que foi possível construir unitariamente para derrotar a política da FUP de entrega de direitos dos participantes.O consenso acordado entre os presentes firmou um compromisso
nacional para derrotar a FUP e seus candidatos.
Temos a responsabilidade de vencer nas três vagas que serão disputadas (duas no Conselho Deliberativo e uma no Conselho Fiscal). Só poderemos fazer frente a este desafio se os setores que se sentirem desprestigiados neste momento souberem hierarquizar os interesses dos participantes da PETROS acima dos seus interesses político-partidários individuais ou coletivos.
Está em jogo o futuro da PETROS e dos participantes da PETROS. A hora é de união em torno do projeto estratégico que apresentamos neste momento. Cada companheiro ou grupamento terá esta responsabilidade também. E que crescerá na medida em que a direção da PETROS e a FUP juntas se beneficiem do Fim do Voto por Correspondência em prejuízo dos participantes e assistidos.
Nosso desafio é enorme. Mas é também superável pela união dos que se consideram no campo dos defensores dos participantes. Temos grandes chances de vencer se nos unirmos acima dos interesses individuais ou de grupos.
Todas as entidades participantes do CDPP já cunharam este compromisso no dia 28, assim como os candidatos que serão apoiados por todos nós. Esperamos que todos se empenhem ao máximo nesta empreitada.
A PETROS É NOSSA! E nós, participantes, vamos demonstrar isto no voto e na luta.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

A PETROS É NOSSA!

          No dia de hoje, 19 de julho, mais de uma centena de manifestantes atendeu ao chamado do Sindipetro RJ, da FNP - Federação Nacional dos Petroleiros - e da FENASPE - Federação Nacional das Associações de Aposentados, Pensionistas e Anistiados do Sistema PETROS e PETROBRAS e do CDPP - Comitê em Defesa dos Participantes da PETROS - participando de um ATO DE PROTESTO  em frente ao prédio da PETROS contra o FIM DO VOTO POR CORRESPONDÊNCIA nas eleições da PETROS.
         Durante o ATO foi entregue o documento abaixo reproduzido ao Presidente da PETROS, Luis Carlos Afonso que recebeu uma comissão de manifestantes.
          As entidades participantes do CDPP estão providenciando medidas jurídicas para impedir este novo ataque aos participantes que tem um único objetivo: acabar com a democracia na Entidade, prejudicando os participantes, em especial aposentados e pensionistas.
A PETROS É NOSSA!

Ao Sr. Presidente da Petros,
Luis Carlos Afonso.
            Os participantes da Petros, presentes nesta manifestação, em 19/07/2011, repudiam as recentes decisões tomadas pelos Conselheiros indicados pela Patrocinadora, propostas pela atual Diretoria Executiva da Fundação, principalmente a discriminação para com os aposentados e pensionistas, com a retirada de voto pelo correio, que segundo o Presidente do CD, é para diminuir os custos das eleições. Com base nessa argumentação, a PETROS deveria pagar administrativamente as decisões do TST referentes aos níveis de 2004, 2005 e 2006, pois isso sim aumenta os custos da PETROS, com a contratação de escritórios de advocacia para agirem contra os Participantes, assistidos e pensionistas.
            Os Participantes estão apoiando os Conselheiros Eleitos, nossos representantes legais junto à PETROS, por não terem concordado com as decisões tomadas, principalmente a eliminação do voto por correspondência nas próximas eleições da PETROS e por ter sido uma agressão aos assistidos, inclusive, se retirando da reunião em protesto explícito contra as atitudes antidemocráticas dos representantes da patrocinadora e principalmente do Presidente do Conselho Deliberativo.
ASSIM, EXIGEM AS SEGUINTES MEDIDAS IMEDIATAS:
1) VOTO por correspondência para as eleições (Correio);
2) Reajuste nos benefícios PETROS dos níveis referentes aos Act’s de 2004/05/06, administrativamente, conforme determinações judiciais transitadas em julgado;
3) Pagamento dos percentuais referentes à RMNR, dos Act’s de 2007/08/09/10;
4) Eliminação da Tabela Congelada estabelecida no Act de 2006;
5) Estender para os companheiros do grupo 1978/1979 e para as pensionistas, as revisões nos seus benefícios, nos mesmos parâmetros dos companheiros que repactuaram;
6) Reajuste dos Assistidos pelo real aumento dos Ativos;
7) Eleição em 2011, também para membro da Diretoria da PETROS;
8) A saída do Presidente do Conselho Deliberativo da PETROS.

               Assinam também esse MANIFESTO, a FENASPE e a FNP.

sexta-feira, 1 de julho de 2011


As Mudanças nas Regras Eleitorais na Petros

O dia 29 de junho de 2011 deve ser marcado na história como aquele em que a patrocinadora Petrobrás, através de seus representantes indicados no Conselho Deliberativo da Petros, cometeu mais uma agressão ao direito dos participantes, em especial dos assistidos - aposentados e pensionistas.

Trata-se da eliminação do voto por correspondência para as próximas eleições na Petros, e outras modificações introduzidas do Regulamento Eleitoral que na avaliação dos Conselheiros Eleitos, representantes dos participantes, trata-se de uma atitude antidemocrática porque nas últimas eleições a maioria dos votos dos aposentados e pensionistas foi através da cédula de votação enviada pelo correio.

Podemos, inclusive, interpretar como uma forma de tentar evitar que os candidatos que vierem a ser indicados pelo CDPP (FENASPE E FNP), sejam eleitos com esmagadora quantidade de votos, maior do que tem acontecido nas duas últimas eleições para os Conselhos Deliberativo e Fiscal.

Essa esdrúxula decisão não contou com o apoio dos Conselheiros Deliberativos Eleitos que tudo fizeram, em várias reuniões do Colegiado, para o encaminhamento contrário desse assunto, onde defenderam com veemência a manutenção do direito adquirido dos participantes em especial aposentados e pensionistas que sabidamente têm dificuldade para exercer seu voto pela Internet ou pelo telefone, além da desconfiança que têm no voto através desses mecanismos que muitos acham sujeito a manipulação.

Quando da última reunião informal onde o assunto foi tratado, foi tentado pelos três Conselheiros eleitos que os Conselheiros representantes das patrocinadoras entrassem em acordo entre eles para que essa agressão não se consumasse e eles se comprometeram a tentar obter da patrocinadora, que define os votos pessoais deles, a possibilidade de manter a regra eleitoral que orientou as últimas eleições.

Quando da deliberação final da matéria na reunião do dia 29 próximo passado, os Conselheiros Eleitos: Paulo Teixeira Brandão, Ronaldo Tedesco Vilardo, Yvan Barretto de Carvalho e os suplentes presentes: Agnelson Camilo e Epaminondas Mendes, em acordo prévio, decidiram que se os representantes da Petrobrás mantivessem a intenção de eliminar o voto pelo correio e demais alterações consideradas prejudiciais aos assistidos, não participariam da decisão pois se retirariam do recinto em represália e só assinarão a Ata da reunião, na qual outros itens foram deliberados, se constar essa demonstração explícita de revolta.

Assim sendo, o Conselheiro Yvan Barreto ficou incumbido de informar aos demais Conselheiros representantes das patrocinadoras essa decisão coletiva dos representantes dos participantes.

Quando, então, o presidente do Conselho anunciou a deliberação do item da pauta correspondente, o Conselheiro Yvan Barretto de Carvalho, conforme a orientação do grupo representante dos participantes presentes (titulares e suplentes), informou, verbalmente, a decisão e todos, ao mesmo tempo, se retiraram da sala onde se realizava a reunião, em sinal de total repúdio à proposta que seria fatalmente aprovada por voto de desempate do representante das patrocinadoras que preside o Colegiado.

Portanto, o dia 29-06-11 deve ser considerado como de grande vergonha para uma empresa que deve seu desenvolvimento aos que hoje mereciam ter um envelhecimento sem as agressões que têm sofrido.

Agora, cabe aos participantes, principalmente os aposentados e pensionistas, darem uma forte demonstração de que não aceitam essa discriminação e se mobilizem para nas próximos eleições, seguindo as orientações das lideranças das Associações e Sindicatos que compõem o CDPP, votarem em massa nos candidatos indicados e, assim, de uma vez por todas, mostrarem aos representantes das patrocinadoras, e pelegos, a quem pertence a PETROS, derrotando mais uma vez àqueles cúmplices das covardias praticados pelo patronal.


Paulo   Brandão
Conselheiro Deliberativo da Petros - Eleito
Diretor da Apape e da Fenaspe